Acessar o conteúdo principal

Caixas-pretas, destroços e corpos de voo que caiu na Indonésia são localizados

Equipes de resgate fotografam destroços do voo SJ182 da Sriwijaya Air, que caiu neste sábado (9).
Equipes de resgate fotografam destroços do voo SJ182 da Sriwijaya Air, que caiu neste sábado (9). REUTERS - WILLY KURNIAWAN
Texto por: RFI
4 min

As equipes de resgate da Indonésia encontraram destroços, restos de corpos e as duas caixas-pretas do voo da companhia Sriwijaya Air, que caiu neste sábado (9) com 62 pessoas a bordo. O acidente aconteceu logo depois de a aeronave, um Boeing 737-500, decolar no aeroporto internacional Soekarno-Hata da capital, Jacarta.

Publicidade

Os destroços foram descobertos a cerca de 23 metros de profundidade no mar de Java, ao norte da cidade. A localização ocorreu horas depois de um sinal de alerta do aparelho, emitido pelas caixas-pretas, ser detectado pelas operações de busca, informou o comandante das forças armadas indonésias, Hadi Tjahjanto, citado pelo Ministério dos Transportes.

"Localizamos a posição das caixas-pretas, as duas", indicou Soerjanto Tjahjanto, chefe do comitê de segurança dos transportes. Ele acrescentou que mergulhadores "vão começar a procurá-las" e disse "esperar que não demore" para a recuperação dos gravadores, peças importantes para esclarecer o que levou ao drama.

Três navios da marinha, mergulhadores e o exército participam do resgate. Os corpos foram levados para identificação. Havia 50 passageiros no avião, entre eles 10 crianças, e 12 tripulantes, de acordo com o ministério dos Transportes.

Por enquanto, não há sobreviventes e as causas da tragédia estão sendo investigadas. As autoridades aéreas indonésias não revelaram nenhum detalhe sobre o que pode ter provocado o acidente. O presidente indonésio, Joko Widodo, exprimiu suas “profundas condolências” aos familiares das vítimas e pediu para a população “rezar para que os corpos sejam encontrados”.

Mau tempo durante as buscas

As torres de controle perderam o sinal do aparelho minutos após ele levantar voo rumo a Potianak, na Ilha de Bornéu, num trajeto que costuma levar 90 minutos. As buscas permanecem neste domingo (10), mas podem ser atrapalhadas pelas fortes chuvas e ventos previstas para atingir o país.

A Sriwijawa Air, dona de cerca de 19 Boeings que voam para destinos na Indonésia e no restante do Sudeste Asiático, limitou-se a dizer que investiga o caso. De acordo com dados do site especializado FlightRadar24, a aeronave atingiu uma altitude de quase 11.000 pés (3.350 metros) antes de cair para 250 pés. Ela então perdeu contato com a torre de controle.

"O voo SJ182 da Sriwijaya Air perdeu mais de 10.000 pés em menos de um minuto, quatro minutos após sua decolagem de Jacarta", informa o site em sua conta oficial no Twitter.

Tragédias anteriores

Em outubro de 2018, 189 pessoas morreram quando um Boeing 737 MAX caiu no mar de Java, 12 minutos após a decolagem. Este acidente e outro envolvendo o mesmo modelo na Etiópia foram atribuídos a defeitos técnicos e a fabricante foi condenada esta semana a pagar multa de US$ 2,5 bilhões por ter enganado as autoridades no processo de aprovação deste modelo.

Os 737 MAXs ficaram sem voar por 20 meses após esses dois acidentes, que deixaram 346 mortos, antes de serem novamente autorizados a operar em alguns países no final de 2020.

O setor de aviação civil na Indonésia passou por várias tragédias nos últimos anos, e muitas companhias aéreas do país foram proibidas de operar na Europa e nos Estados Unidos no passado.

Com informações Reuters e AFP

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.