Acessar o conteúdo principal

Trump ou Biden? Imprensa francesa analisa suspense em eleições nos EUA

os jornais franceses analisam a estratégia do presidente americano, Donald Trump, que contesta desde ontem os resultados preliminares das eleições presidenciais nos Estados Unidos.
os jornais franceses analisam a estratégia do presidente americano, Donald Trump, que contesta desde ontem os resultados preliminares das eleições presidenciais nos Estados Unidos. © Fotomontagem RFI
Texto por: RFI
3 min

A apuração dos resultados das eleições presidenciais nos Estados Unidos ganhou as páginas dos principais jornais franceses nesta quinta-feira (5).  "Quem?", destaca a manchete do Le Figaro, publicada entre as fotos de Donald Trump e Joe Biden. A ofensiva de Trump diante da desvantagem na contagem dos votos é um "cenário perigoso."

Publicidade

A estratégia de Trump provoca a indignação de diversos membros importantes do Partido Republicano, escreve o Le Figaro. É o caso de Chris Christie, ex-governador de Nova Jersey, amigo do presidente americano. Ele acredita que Trump tomou uma decisão estratégica e política equivocada.

Trump não está nem nunca esteve à altura do cargo de presidente, avalia o jornal Libération, de esquerda. Em 2016, quando os americanos o elegeram, "graças a um sistema anacrônico de grandes eleitores", Trump chegou ao poder impulsionado por sua megalomania e tendência autoritária, pouco compatíveis com a postura que a função de presidente exige.

Tais características ficaram evidentes na quarta-feira, lembra o jornal, quando Trump anunciou sua vitória quando os resultados ainda não eram definitivos. Para o Libération, esse foi o epílogo de um mandato que ignorou o protocolo e o decoro exigidos de um presidente, que preferiu "mentir e choramingar em seus tuítes."

Batalha judicial

Outros jornais, como o "Le Parisien", analisam a estratégia de Trump para contestar os resultados, classificada como uma "guerrilha judiciária." Para a enviada especial do jornal a Washington, o clima na capital americana é de perigo, onde reina uma extrema tensão, além da preocupação ligada à  Covid-19. A epidemia está fora de controle e já deixou mais de 230 mil mortos nos Estados Unidos.

A atitude do presidente que, nas últimas horas, anunciou sua vitória, denunciou fraudes e pediu a suspensão da contagem dos votos em alguns estados, aumenta ainda mais a ansiedade e o nervosismo no país. Várias manifestações, de extremistas de direita e esquerda já ocorrem em diversas partes do país desde que apuração teve início.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.