Acessar o conteúdo principal

Ameaça inédita de senadores pró-Trump rejeitarem vitória de Biden enfraquece democracia americana

Presidente Donald Trump e o presidente eleito Joe Biden.
Presidente Donald Trump e o presidente eleito Joe Biden. Morry GASH, JIM WATSON AFP/File
Texto por: Thiago de Aragão
7 min

Novo ano, velhas polêmicas. Donald Trump não conseguiu superar ainda a derrota eleitoral para o presidente eleito Joe Biden e, mesmo em janeiro de 2021, a poucos dias da posse presidencial, segue tentando reverter o resultado eleitoral de todas as formas possíveis. 

Publicidade

Nesta quarta-feira (6), o Senado americano irá reconhecer a vitória eleitoral de Biden e os resultados do colégio eleitoral. Em toda história americana, isso é apenas uma formalidade constitucional. No entanto, um grupo de 14 senadores republicanos estão dispostos a tentar mudar a história.

Por mais que as chances sejam remotíssimas e o número não deve passar muito além de 14, o fato de senadores se colocarem dispostos a rejeitar a nomeação de Biden sob a alegação de uma fraude nunca comprovada, enfraquece a democracia americana de uma forma nunca antes vista. Além disso, a polarização visceral que se consolidou no país nos últimos anos, não deve desaparecer tão cedo. 

Estratégia de “surfar” na popularidade de Trump

Trump foi o candidato republicano à Presidência que mais votos conquistou, mesmo perdendo de Joe Biden por uma diferença de 7 milhões de votos. Isso é um legitimador popular da força política que Trump tem em relação à grande parte do eleitorado. Entre os senadores que planejam rejeitar a nomeação de Biden, destaca-se Ted Cruz do Texas.

Mesmo rompendo com a enorme maioria dos senadores republicanos (inclusive aliados históricos do presidente Trump), Cruz acredita que essa postura poderá gerar um ganho positivo perante seu eleitorado texano. Alguns senadores republicanos, como Ben Sasse do Nebraska, afirma que esse grupinho quer apenas “surfar na onda” de popularidade que Trump possui em seus estados.

Independentemente dos objetivos por trás da postura desse grupo de senadores republicanos, as razões vão contra tudo que a institucionalidade e a democracia americana nos mostraram ao longo da história: se houve fraude, ela nunca foi comprovada perante a corte de nenhum estado ou a corte federal. Se não houve irregularidades, se ater a essas narrativas para satisfazer eleitores prejudica e muito a sociedade americana e os valores democráticos do país.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.