Acessar o conteúdo principal

EUA: governadora alerta para "violência generalizada" em Oregon após eleições

Polícia intervém em protestos em Portland, onnde dez pessoas foram presas
Polícia intervém em protestos em Portland, onnde dez pessoas foram presas AP - Paula Bronstein
Texto por: RFI
3 min

Pelo menos dez pessoas foram presas na noite de quarta para quinta-feira (5) no centro de Portland, no estado do Oregon, em manifestações pós-eleitorais organizadas por grupos de extrema-esquerda, segundo as autoridades americanas. A governadora Kate Brown pediu a intervenção da Guarda Nacional para conter o que chamou de "violência generalizada." 

Publicidade

A cidade é palco de protestos desde julho passado contra os casos de violência policial que atingem a população afro-americana em diversas regiões dos Estados Unidos. 

O Estado prolongou o estado de emergência instaurado na noite das eleições presidenciais, em 3 de novembro, para prevenir novos tumultos. Diante da violência dos protestos desta quarta-feira, a polícia alertou que usaria bombas de gás lacrimogêneo e munições, pedindo às pessoas que deixassem o centro da cidade imediatamente. Os participantes dos atos tinham armas, facas, martelos e fogos de artifício que foram usados como projéteis, segundo a polícia. Eles lançaram garrafas e outros objetos contra os policiais, além de quebrarem vitrines das lojas.

Protestos em todo o país

Outros protestos aconteceram nesta quarta-feira em Nova York, Atlanta, Detroit e Oakland, onde a polícia prendeu cerca de 50 pessoas. Os manifestantes exigem que a apuração dos votos continue sem obstáculos. Os militantes do grupo "Protect the Results" (Proteja os resultados), que reúne cerca de 165 associações e sindicatos, previram uma centena de protestos nos Estados Unidos até sábado.

A equipe de campanha de Donald Trump alegou suspeita de fraude e pediu a interrupção da apuração em vários estados onde ele está perdendo para o candidato democrata, Joe Biden. Em Fênix, no Arizona, os trumpistas, alguns deles armados, chegaram a se reunir em frente a um local de votação. Eles foram motivados por boatos de que alguns votos não teriam sido contabilizados "propositadamente".

Biden tem vantagem

Joe Biden se aproxima da vitória com 267 grandes eleitores contra 214 para Donald Trump, nessa quinta-feira (contagem até 7h horário de Brasília) e com mais de 3 milhões de votos populares em relação ao presidente americano. Em 2016, Donald Trump foi eleito, apesar da candidata democrata, Hillary Clinton,  ter contabilizado milhões de votos a mais do que seu adversário. Trump está em vantagem na Carolina do Norte, mas sua hegemonia está ameaçada na Geórgia e na Pensilvânia. A apuração também não terminou no estado de Nevada onde Biden se encontra em vantagem. 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.