Acessar o conteúdo principal

Etiópia: capital da Eritreia é alvo de ataques vindos da região do Tigré

Forças armadas da Etiópia, em uma região na fronteira do Tigré, em 9 de novembro de 2020.
Forças armadas da Etiópia, em uma região na fronteira do Tigré, em 9 de novembro de 2020. REUTERS/Tiksa Negeri
Texto por: RFI
3 min

A capital da Eritreia, Asmara, foi alvo de ataques que teriam vindo da região do Tigré, na Etiópia neste domingo (29). O governo etíope anunciou no sábado (28) ter tomado o controle de Mekele, a capital da região dissidente do norte do país.

Publicidade

De acordo com a embaixada americana na Eritreia, “por volta das 22h13 do 28 de novembro, aconteceram seis explosões em Asmara". A informação foi dada em um “alerta de segurança” publicado neste domingo no site da representação diplomática. Dois diplomatas baseados em Addis Abeba afirmaram que o alvo do ataque seria provavelmente o aeroporto e instalações militares da capital.  

Essa é a terceira vez que Asmara é alvo de ataques. Na noite de sexta-feira (27), a cidade foi  atingida por outro míssil, vindo da região do Tigré, segundo fontes diplomáticas. Outras ofensivas atingiram a capital da Eritreia há duas semanas. Os mísseis não atingiram os alvos e não há informações sobre eventuais estragos. A Eritreia, que está situada ao norte do Tigré, é um dos países mais fechados do mundo e seu governo não comentou os ataques.

Controle de Mekele

A Frente de libertação do povo do Tigré (TPLF) reivindicou o primeiro ataque, acusando Asmara de apoiar o Exército federal da Etiópia, mas o partido não se pronunciou sobre os dois outros. O Tigré está praticamente isolado do mundo desde o início do conflito e a localização dos dirigentes do movimento é desconhecida.

O primeiro-ministro Abiy Ahmed anunciou “controlar” Mekele, bastião da TPLF, no poder na região. Esta é uma etapa decisiva da operação militar que começou em 4 de novembro. Na sexta-feira (27), Ahmed dispensou a mediação da União Africana para a solução do conflito. 

A Eritreia é considerada pelo TPLF como inimiga. Quando o partido estava no poder em Addis Abeba, Etiópia e Eritreia se enfrentaram em uma guerra que durou dois anos, entre 1998 e 2000. A tensão entre os dois países diminuiu quando Abiy Ahmed se tornou primeiro-ministro em 2018 e estabeleceu a paz com Asmara, iniciativa que valeu ao premiê etíope o prêmio Nobel da paz em 2019.  

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.